Categorias
Inter de Limeira

Inter aposta no fator casa para se reabilitar amanhã na Copa Paulista

Redes Sociais Esportivas

Por Edmar Ferreira

Seis jogos em casa, com cinco vitórias, um empate e apenas dois gols sofridos. Este é o retrospecto da Internacional na Copa Paulista. Amanhã o Leão recebe o Água Santa, às 20h, no Limeirão, pela segunda rodada da segunda fase da Copa Paulista.

A Inter empatou na estreia com o Audax por 0 a 0 e venceu cinco partidas seguidas no Major Levy: 4 x 2 Taboão da Serra, 1 x 0 São Paulo, 1 x 0 Atibaia, 2 a 0 Desportivo Brasil e 3 x 0 Rio Branco. Ou seja, são quatro jogos consecutivos sem sofrer gol diante de sua torcida.

O jogo de amanhã é muito importante, afinal de contas, ambos estrearam com derrota nesta fase. Enquanto a Inter perdeu para o Taboão da Serra por 2 a 1, fora de casa, o Água Santa foi derrotado pela Ferroviária por 2 a 0, em Diadema.

Nesta fase, se classificam os dois melhores de cada grupo e mais dois melhores terceiros colocados. É por isso que vencer em casa é fundamental.

50 jogos de João Vallim

O jogo será especial para João Vallim, que completará 50 jogos à frente da Internacional, igualando a Carlos Gainete e tornando-se o 5º treinador que mais comandou a Veterana. Até agora seu aproveitamento é de 63,2%, com 28 vitórias, 9 empates e 12 derrotas.

Difícil assimilar

O elenco da Internacional ainda não aceitou muito bem o gol sofrido em Taboão da Serra aos 50 minutos do 2º tempo.

O jogo estava empatado por 1 a 1, quando o árbitro deu quatro minutos de acréscimo. Aos 49’40, Leonardo Ferreira de Lima colocou o apito na boca e ameaçou encerrar a partida, porém não apitou. Foi o tempo suficiente do cruzamento da esquerda encontrar o atacante Danilo, que sozinho na área e em posição bastante duvidosa, colocou no canto de Moisés: 2 a 1.

O time inteiro da Internacional foi para cima do árbitro. A revolta foi grande. João Vallim era o mais inconformado. Depois de alguns minutos de paralisação, o jogo foi reiniciado e encerrado um minuto depois.

Com a derrota, a Inter perdeu uma invencibilidade de nove partidas. Se não perdesse em Taboão, Vallim igualaria sua melhor marca no Leão, de 10 jogos sem um resultado adverso.

Tom já é o trigésimo artilheiro

O “Barba Assassina” continua fazendo história. Com o pênalti convertido em Taboão da Serra, Tom chegou aos 16 gols em 37 jogos. Desta forma, é o 30º maior artilheiro da Inter, igualando a João Luís, Gilcimar e Brenner.

Tom passa a ser o maior artilheiro da Inter na história da Copa Paulista com 6 gols, junto com Dudu e Moisés. O atacante também é o 4º maior artilheiro do Leão no Século 21, junto com Brenner e Paulinho e atrás apenas de Fernando Russi (28 gols), Maranhão (19) e Diego Carioca (18).

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •