Presidente e técnico da Inter de Limeira negam jogo manipulado em Diadema

Por Edmar Ferreira

O ambiente na Internacional se transformou do dia para a noite. Da paz com a renovação de contrato do técnico João Vallim e a permanência na Série A-2 para o inferno da notícia que foi divulgada ontem no final da tarde. A derrota para o Água Santa por 3 a 0, sábado passado em Diadema, pela última rodada da fase de classificação, está sob suspeita.

Segundo matéria trazida pelo site Uol, a Federação Paulista de Futebol recebeu e encaminhou a denúncia ao Ministério Público e a Polícia Civil. O objetivo é investigar o comportamento duvidoso de alguns atletas no último fim de semana.

A investigação ainda não concluiu responsabilidades e não se sabe se o pedido dos apostadores e aporte ilegal financeiro nos jogos foi por “mala branca” (quando um terceiro interessado paga um prêmio extra para um dos times envolvidos vencer) ou se foi “mala preta” (quanto alguém oferece dinheiro para um time perder).

O presidente leonino Paulo Eduardo Toledo de Barros estava em São Paulo quando recebeu a notícia. Por telefone, disse que não acredita que os jogadores da Inter pudessem participar desse esquema.

Segundo ele, que não viajou para Diadema no sábado, essa notícia atrapalha e muito o projeto que há dois anos vem dando certo no clube.

“Isso é improvável. Estou monitorando a situação e já entrei em contato com o nosso Departamento Jurídico. Confesso, não senti nada de estranho durante a semana. As pessoas fazem de tudo para nos desestabilizar. Nossa credibilidade não pode ser arranhada desse jeito”, comentou.

O mais inconformado era João Vallim. Também por telefone, o treinador garantiu que a Inter não participou de nenhum esquema.

“Essa notícia é infundada. Se a gente tivesse se vendido não teria criado várias oportunidades e acertado até a trave. O gol contra do Mizael foi uma infelicidade. O Wellington Saci cobrou uma falta no ângulo. O terceiro gol foi de contra-ataque”, justificou.

Vallim disse que se um dia for comprovado que ele se vendeu ou participou de algum esquema de manipulação, deixaria de ser técnico na hora. “Sou uma pessoa muito correta e trabalho com gente honesta. Essa notícia nos atrapalha demais”, completou.

Além da Inter, outro jogo da Série A-2 que está sob investigação e Rio Claro 1 x 2 Nacional, no Schmidtão.

 

chico macaco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *