Minha homenagem ao ex-pivô Cássio, que nos deixou hoje aos 29 anos

Por Edmar Ferreira

PERDA – Ainda está difícil aceitar a perda do meu grande amigo Cassio De Padua Mestieri… esta foto está no livro que escrevi sobre a história da Winner/Limeira.

Em 2005, Cássio foi eleito o melhor pivô do Campeonato Paulista Juvenil vestindo a camisa do Nosso Clube. Ao seu lado estão André Bahia e Zanon, vice-campeões com a Winner naquela temporada…

Difícil encontrar palavras para este momento…só gostaria muito de confortar seus pais Tininha Mestieri e Ruy. Tive a honra de acompanhar toda a trajetória do Cássio no basquete.

Vibrava com suas conquistas e fazia questão de registrá-las na Gazeta de Limeira.

Era um menino exemplar. Era educado, bom aluno, humilde, talentoso e um baita pivô.

Triste demais sua morte tão precoce…Descanse em paz irmão!

Minha matéria:

Limeira amanheceu com uma notícia muito triste, a morte do jovem Cássio de Padua Mestieri, de 29 anos (completados no último dia 2). Como jogador de basquete, fez parte da vitoriosa base do Nosso Clube, comandada pelos técnicos Camargo e Jece Leite.

Em 2005, Cássio foi eleito o melhor pivô do Campeonato Paulista de Basquete e participou da festa organizada pela Federação Paulista, em São Paulo. Na ocasião, recebeu o troféu ao lado do técnico Luiz Augusto Zanon e do pivô Rodrigo Bahia, que integraram a seleção dos melhores do Estadual adulto. Naquele ano a Winner perdeu o título para COC/Ribeirão Preto.

 

Samsung

 

Cássio sempre foi o principal cestinha de sua equipe e ajudou o Nosso Clube a conquistar vários títulos, em especial o Campeonato Regional e o Estadual de 2005. Por 10 vezes recebeu premiações individuais e quase sempre figurou na Seleção de Ouro das competições que participou.

Em 2007, Cássio viajou para os Estados Unidos, onde participou de uma High School na CLA (Chrystian Life Academy), na cidade de Baton Rouge, na Louisiana. Foi indicado por vários treinadores brasileiros que foram consultados por Rafael Pastel, auxiliar-técnico de uma universidade do Mississipi.

Cássio tinha um carinho todo especial pelo técnico Jece Leite, que foi fundamental em sua carreira. “Depois dos meus pais, ele foi o primeiro que acreditou no meu basquete”, disse em uma entrevista à Gazeta de Limeira.

O ex-pivô era muito querido em Limeira, até por sua simplicidade. Ele chamava a atenção não só pelos seus quase dois metros de altura (tinha 1m93), mas por sua educação. Era quase sempre o melhor aluno da escola e se formou em medicina. Suas notas na faculdade Einstein sempre foram as melhores.

Cássio sempre contou com o apoio dos pais Rui Mestieri (pediatra) e Ana Cristina (Tininha).

Cássio foi sepultado hoje à tarde no Cemitério Nossa Senhora da Conceição, em Campinas.

cassio morte

 

Um comentário em “Minha homenagem ao ex-pivô Cássio, que nos deixou hoje aos 29 anos

  • 14 de janeiro de 2019 a 23:35
    Permalink

    Meus sentimentos, e que Deus conforte os corações dos pais , minha querida Tininha e Dr Ruy, da família e dos amigos.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *