Marcação promete ser o ponto forte da Inter hoje contra a Portuguesa Santista

Por Edmar Ferreira

Força, foco e fé. O cantor Projota carregou a vida toda essas três palavras e sua carreira só deslanchou. João Vallim também segue à risca e espera que a Internacional entre com esse espírito contra a Portuguesa Santista, hoje às 19h, no Estádio Ulrico Mursa, em Santos, pelo jogo de volta do mata-mata das quartas de final do Campeonato Paulista da Série A-2.

A Inter conseguiu uma boa vantagem no jogo de ida, ao vencer por 2 a 0, no Limeirão, gols de Tcharlles e Marquinhos, ambos de cabeça. Desta forma, poderá até perder hoje por um gol de diferença que estará classificada para as semifinais. O time da casa terá que vencer por dois gols de diferença para levar a decisão da vaga para os pênaltis, ou por três gols de diferença para avançar no tempo normal.

O que mais anima o torcedor leonino, é que a Inter tem o segundo melhor aproveitamento como visitante entre os oito classificados, atrás apenas do Juventus: 58,3%.

Foram quatro vitórias, diante de São Bernardo (2 x 1), Sertãozinho (1 x 0), Portuguesa (3 x 2) e Rio Claro, dois empates (0 x 0 Santo André e 1 x 1 Taubaté) e duas derrotas (3 x 1 Água Santa e 3 x 0 Nacional).

Ou seja, nesta A-2 a Inter só perdeu um jogo por três gols de diferença, resultado que a eliminaria da Série A-2.

Para esta partida o técnico João Vallim só fará uma alteração em relação ao time que venceu na quinta-feira. No rodízio de goleiros adotado desde o início da competição, Rafael Pin entra na vaga de Moisés.

Números

João Vallim tem 53 jogos com a Internacional fora de casa. Seu retrospecto é de 19 vitórias, 15 empates e 19 derrotas. Seu ataque marcou 72 gols e sua defesa sofreu 73. Dos 159 pontos que disputou, conquistou 72, ou que dá um aproveitamento de 45,2%.

Dessas 19 derrotas, apenas duas foram por três gols de diferença, que hoje eliminaria a Inter das semifinais: 3 x 0 para o Água Santa em 24/03/2018 e 3 x 0 para o Nacional em 20/03/2019.

Outras quatro derrotas foram por dois gols de diferença, que levaria a decisão desta noite para as penalidades máximas: XV de Piracicaba (3 x 1 em 03/02/2018 e 2 x 0 em 15/08/2018), Rio Claro (3 x 1 em 10/03/2018) e Água Santa (02/02/2019).

Briosa

Na Portuguesa Santista o técnico Sérgio Guedes deve promover a entrada de Rayllan, deixando o time mais ofensivo. Daniel Bueno também pode aparecer como uma das novidades.

Nesta Série A-2, a Briosa disputou sete jogos em sua casa. Foram quatro vitórias (1 x 0 Nacional, 4 x 3 XV de Piracicaba, 1 x 0 Juventus e 1 x 0 Sertãozinho), um empate (2 x 2 Portuguesa) e duas derrotas (2 x 1 Água Santa. Ou seja, nenhuma vitória por dois gols de diferença.

Na Série A-3 de 2017, a Internacional enfrentou o Santista no Ulrico Mursa e venceu por 1 a 0, gol de Tom.

A Inter enfrentou a Portuguesa Santista 15 vezes no Ulrico Mursa em sua história. Foram cinco vitórias, quatro empates e seis derrotas. O Leão marcou 15 gols e sofreu 24.

Duas goleadas da Santista marcaram esses confrontos. Em 29/01/2003, sob o comando do italiano Giuseppe Pallavicini, a Briosa aplicou 6 a 0 no Leão, na estreia da Série A-1. Depois, em 21/10/2007, placar de 5 a 0 pela Copa Energil C.

Portuguesa Santista x Internacional

Portuguesa Santista – John; Rafael Ferro, Balardin, Luiz Eduardo e Boré (Marlon); Acleisson, Tufa (Rayllan), Carlos Alberto e Diego Palhinha; Rodriguinho e Wendell (Daniel Bueno). Técnico – Sérgio Guedes.
Internacional – Rafael Pin; Alisson, Oliveira, Jean Pablo e Malcoon; Marquinhos, França, Nata e Chumbinho; Élvis e Tcharlles. Técnico – João Vallim.
Árbitro – Vinícius Furlan
Local – Estádio Ulrico Mursa, em Santos, às 19h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *