Última frustração do XV no Barão foi em 2008, com o esquadrão de Paulo Roberto

Por Edmar Ferreira

Um jogo que pode servir de motivação para os jogadores da Internacional. Em 2008, o Atlético de Sorocaba conseguiu calar o Barão da Serra Negra na final da Copa Paulista.

No dia 29 de novembro daquele ano, o XV entrou em campo precisando apenas do empate para ser o campeão. Dono da melhor campanha, o Nho Quim jogava por dois resultados iguais.

No duelo de ida, o XV arrancou um empate por 1 a 1, em Sorocaba. Na volta, o clima de “é campeão” estava no ar. O público compareceu em peso no Barão, com 18 mil pagantes.

Depois de sair atrás do placar com um gol do meia Leandro Diniz (ex-Inter), o XV virou contra o time sorocabano, gols de Preto, em cobrança de falta, e Fábio Santos.

Mas o “menino maluquinho” Luan, hoje no Atlético/MG, empatou para o time de Sorocaba, que tinha como técnico Paulo Roberto Santos, o “Luxemburgo do Interior”.

A torcida quinzista gritava “é campeão” e pedia pelo fim da partida. Mas aos 48 minutos, os deuses do futebol escreveram um novo capítulo. O zagueiro Luizão foi para a área e, mesmo sem querer, encobriu o goleiro Cristiano, marcando o gol da virada e, consequentemente do título.

Ingressos

Assim como aconteceu no jogo de ida da semifinal, a venda de ingressos para torcida visitante será realizada pelo clube visitante.

Sendo assim, uma carga de mil ingressos para os torcedores da Internacional está sendo comercializada apenas no Limeirão.

Os valores serão os mesmos, ou seja, R$ 30 inteira e R$ 15 meia. Não há promoção de ingresso. Ou seja, quem comprar o ingresso de meia terá que obrigatoriamente apresentar a carteirinha no acesso ao Barão de Serra Negra. Este controle é realizado pelo clube mandante nas catracas.

As vendas em Limeira acontecem até às 12h desta sexta-feira. Depois disso, apenas nas bilheterias do Barão, na hora do jogo, que está marcado para as 19h.

*** Foto – arquivo do Jornal Cruzeiro do Sul

2 comentários em “Última frustração do XV no Barão foi em 2008, com o esquadrão de Paulo Roberto

  • 18 de abril de 2019 a 17:00
    Permalink

    Eu estava no barão de serra negra nesse dia,e como sorocabano é claro que torcia muito pelo atlético,fui a euforia qdo saiu o terceiro gol do galo aos 48 minutos do segundo tempo,mas quando o árbitro apitou o fim de jogo,eu fiquei triste,pois minha alegria custava a infelicidade de 18 mil pessoas que estavam no estádio,lembro até hoje como eles se retiravam,aí eu pensei,e os outros Piracicabanos que ouviram no rádio ou viram o jogo na tv?eu naquele momento me achei mesquinho,e até hoje eu me reflito,o futebol é muito mais tristeza do que felicidade

    Responder
  • 19 de abril de 2019 a 00:09
    Permalink

    Eu estava lá, Pc e Nata jogavam no Atlético de Sorocaba.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *