Inter sobe para a elite do Paulistão e disputa final da A-2 com o Santo André

Por Edmar Ferreira

Emocionante. Digno de um filme de Hollywood. O acesso da Internacional para a Série A-1 do Campeonato Paulista foi sofrido até demais. Um teste para cardíaco nenhum botar defeito.

Após empatar com o XV de Piracicaba por 2 a 2 no tempo normal, sábado no Barão de Serra Negra, o Leão venceu nos pênaltis por 4 a 3. Rafael Pin defendeu duas cobranças e ainda contou com a ajuda do travessão.

Seu adversário na final será o Santo André, que perdeu para o Água Santa por 3 a 2, em Diadema, mas subiu por ter vencido o jogo de ida por 2 a 0.

Os dois times iniciam a final no domingo, às 10h30, no Limeirão. Jogo de volta será na quarta-feira, feriado do dia do trabalhador, provavelmente às 15h, no Estádio Bruno José Daniel. O campeão garante uma vaga na Copa do Brasil do ano que vem.

Inter e Santo André ocuparão as vagas deixadas por São Bento e São Caetano, rebaixados para a Série A-2. O retorno do Ramalhão acontece após somente uma temporada na A-2. Por outro lado, a Inter, campeã do Paulistão 1986, volta à elite após 14 anos.

JOGO

Após empatar sem gols com o XV de Piracicaba, no Limeirão, o Leão foi para o Barão de Serra Negra precisando eliminar o time da casa, uma vez que a chance pela terceira vaga de acesso havia se perdido com a surpreendente vitória do Santo André diante do Água Santa por 2 a 0, no ABC.

Com o retorno de França, que não jogou a partida de ida por estar suspenso, João Vallim pode escalar seu time titular, no 4-5-1. O XV também repetiu a formação e contou com o apoio de mais de 14 mil torcedores.

O XV começou o duelo pressionando. Aos 2, Kadu Barone mandou por cima de Rafael Pin e aos 10, Macena ganhou de Jean Pablo e serviu Ronaldo. O atacante recebeu e chutou em cima de Oliveira. Na sobra, Walfrido experimentou e mandou para fora.

O XV abriu o placar em uma cobrança de falta de Gilberto Alemão. A barreira pulou e o ex-zagueiro do Independente marcou seu terceiro gol de falta na competição.

A Inter não se abateu com o gol sofrido e foi em busca do empate. Aos 15 minutos, após cruzamento da direita, Tcharlles cabeceou à direita de Luiz Fernando. Em seguida, o goleiro quinzista evitou o gol de falta de Oliveira, que acertou um tubaço da intermediária.

Aos 24 minutos, Chumbinho arrematou a bola desviou na defesa quinzista, sobre o gol. No escanteio, Malcoon pegou o rebote e chutou longe do gol.

O empate leonino surgiu aos 32 minutos. Em uma falta bem ensaiada, Chumbinho recebeu de Alisson e levantou na segunda trave para Marquinhos. O volante ganhou no alto e escorou para a segunda trave. Foi então que Nata desviou e Jean Pablo deixou tudo igual de cabeça. Terceiro gol do becão com a camisa leonina.

acesso 02

 

Só que a comemoração durou exatamente um minuto. Jefferson Feijao acionou Macena pela direita. O cruzamento rasteiro encontrou Kadu Barone na segunda trave para colocar o XV novamente em vantagem.

O segundo tempo foi eletrizante. Aos 8 minutos, passe de Ronaldo para Macena, que infiltra e chuta forte, por cima do gol. Aos 13 foi a vez de Kadu Barone finalizar rente o travessão.

A Inter atacou pela primeira vez na etapa complementar apenas aos 22 minutos, quando Marquinhos tabelou com Tcharlles e bateu rasteiro de fora da área para a defesa de Luiz Fernando em seu canto direito.

Aos 35 minutos, Jean Pablo salvou aquele que seria o gol do acesso do XV. Bruninho, que tinha acabado de entrar no jogo, arrancou pela direita, ganhou da marcação e encobriu Rafael Pin. O becão leonino salvou em cima da linha.

O gol de empate leonino veio nos acréscimos, mais precisamente aos 46 minutos. Oliveira fez um lançamento perfeito para Tcharlles, que dominou tirando do marcador. Com um chute forte de perna direita, o “Speed” obrigou Luiz Fernando a fazer uma grande defesa. Porém no rebote, Elvis ajeitou e mandou forte de perna esquerda, deixando tudo igual: 2 x 2.

 

acesso 01

 

Nos pênaltis, Ronaldo abriu a série para o XV fazendo 1 a 0. Jean Pablo empatou. Gilberto Alemão fez 2 a 1 para o time da casa. Chumbinho empatou.

Na terceira cobrança do XV, Rafael Pin defendeu a cobrança de Bruninho. Mas Tcharlles também parou em Luiz Fernando.

O zagueiro Douglas Marques colocou o XV em vantagem: 3 x 2. Mael fez 3 a 3. Cássio Gabriel mandou no travessão. Era França marcar e se consagrar. Porém o capitão bateu muito mal, pra fora, dando sobrevida ao XV.

Nas alternadas, o volante Fraga cobrou e Rafael Pin acertou o canto. Foi então que Oliveira cobrou no cantinho para dar o acesso ao Leão.

XV de Piracicaba 2 x 2 Internacional

(3 x 4 nos pênaltis)
Gols – Gilberto Alemão, de falta, aos 13 minutos e Kadu Barone aos 32 do 1º tempo (XV); Jean Pablo aos 31 minutos do 1º tempo e Elvis aos 46 do 2º tempo (IN).
Local – Estádio Barão de Serra Negra
Árbitro – Vinícius Gonçalves Dias Araújo
Público – 14.669 pagantes
Renda – R$ 239.555,00
XV de Piracicaba – Luiz Fernando; Jefferson Feijão, Douglas Marques, Gilberto Alemão e Robertinho; Fraga, Walfrido e Misael (Bruninho); Kadu Barone (Lucas Formiga), Ronaldo e Macena (Cássio Gabriel). Técnico – Tarcísio Pugliese.
Internacional – Rafael Pin; Alisson (Michel), Oliveira, Jean Pablo e Malcoon; França, Marquinhos, Nata (Jorge Elias) e Chimbinho; Tcharlles e Elvis (Mael). Técnico – João Vallim.
Ocorrências – cartões amarelos para Robertinho, Ronaldo, Walfrido e Macena (XV); França, Marquinhos, Tcharlles e Alisson (INT)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *