Nas três vezes que disputou o título da Série A-2, Internacional foi a campeã

Por Edmar Ferreira

Aquela velha máxima do futebol que diz: “deixou chegar, agora segura”, se encaixa perfeitamente a Internacional. Nas três vezes em que o Leão subiu para a elite do futebol paulista, fechou a Série A-2 com o título.

A primeira conquista foi em 1978, na famosa “Batalha de Espírito Santo do Pinhal”. A Inter perdia para o Ginásio Pinhalense por 2 a 0, quando a torcida leonina decidiu derrubar o alambrado. Brigas entre as torcidas foram registradas dentro e fora do estádio. Muita gente se feriu. Alegando falta de segurança, o árbitro decidiu encerrar a partida.

O caso foi parar na Federação Paulista de Futebol, que decidiu marcar um novo jogo, mais precisamente no dia 29 de abril de 1979, no mesmo local. O técnico Izo Neri assumiu o time no lugar de Airton Diogo e a Inter venceu por 2 a 0, gols de Caldeira e Tião Marino, garantindo o acesso e, consequentemente, o título.

 

1978

 

A Inter tinha em seu elenco jogadores como Carlinhos Biagioli, Volmil, Alexandre Pimenta, Kleion, Lopes, Ademir Mello, Humberto Ramos, Juarez, Tião Marino, Tornado, Caldeira, Nestor, Dedeu, Luiz Moraes, Pitico, Davi, Carlinhos, Marquinhos Capivara, entre outros.

Foram 45 jogos no total, com 27 vitórias, 8 empates e 10 derrotas. Seu ataque marcou 57 gols e sua defesa sofreu 32, saldo de 25. Tião Marino foi o artilheiro com 18 gols, seguido de Ademir Mello, Carlinhos e Caldeira com 7 gols. Alexandre Pimenta e Tião Marino foram os que mais atuaram, com 44 jogos cada.

Servilho iniciou a temporada como técnico e em 19 jogos conseguiu 11 vitórias, 4 empates e 4 derrotas. Airton Diogo comandou o Leão em outros 25 jogos, com 15 vitórias, 4 empates e 6 derrotas. Já Ilzo Neri foi o técnico apenas no jogo do acesso.

1996

 

FUTEBOL - EDU MARANGON

*** Foto – acervo Gazeta Press

 

Essa talvez tenha sido a conquista mais gostosa da Inter em se tratando de Série A-2. Estevan Soares montou o time para a competição e para a sua surpresa, perdeu os cinco jogos iniciais, três em casa (2 x 1 XV de Piracicaba, 3 x 2 Ituano e 3 x 1 Noroeste) e dois fora (2 x 1 Paulista e 1 x 0 Ponte Preta). A Inter foi massacrada por críticas feitas por seus torcedores.

Vanderlei Paiva foi contratado e literalmente arrumou a casa. Em 22 jogos, venceu 13, empatou 4 e perdeu 5. Mas a diretoria queria que a estrela de Pepe brilhasse novamente, como em 1986, e o contratou para os nove jogos finais, exatamente dez anos depois. Invicto, com cinco vitórias e quatro empates, seu “José Macia” levou a Inter de volta à divisão de elite.

A Inter disputou o quadrangular final com São José, Ituano e Portuguesa Santista. Na primeira rodada ficou no 1 a 1 no Ulrico Mursa. Depois, 0 a 0 com o São José, no Vale do Paraíba. Em seguida, bateu o Ituano por 2 a 0, no Limeirão, ganhando confiança.

No returno, foi buscar um ponto em Itu (1 x 1). Nos dois jogos restantes, ficou no 0 a 0 com o São José, no Major Levy e fez a festa com a torcida ao golear o Briosa por 4 a 0, gols de Piá (2), Paulinho e Daniel Júnior, diante de um Limeirão lotado.

Foram 36 jogos, com 18 vitórias, 8 empates e 10 derrotas. O ataque leonino marcou 57 gols e a defesa sofreu 36. Paulinho foi o artilheiro com 15 gols, seguido por Valmir com 7 e Piá com 6. O próprio Paulinho foi o jogador que mais atuou naquele ano, com 34 jogos, contra 31 de Leandro e Luiz Henrique.

O time base da Inter era formado por Leandro; Alberto Valentim, Fernando, Amarildo Constâncio e Daniel Júnior; Zelito, Luís Henrique, Piá e Edu Marangon; Paulinho e Cleto.

2004

 

2004

 

Desde o início da Série A-2 de 2004 o torcedor leonino tinha a certeza que o time brigaria pelo acesso. O técnico Pintado montou uma equipe bastante competitiva e comandou os 26 jogos (14 vitórias, 6 empates, 6 derrotas, 41 gols marcados e 28 sofridos).

A Inter foi a campeã mesmo perdendo o último jogo para o Taubaté, no Vale do Paraíba, por 2 a 1, no dia 30 de maio. O alvinegro contou com a “colaboração” do Flamengo, que goleou o Taquaritinga por 5 a 0, em Guarulhos. Apenas o campeão subia.

Neste quadrangular final, a Inter venceu as duas primeiras partidas por 1 a 0, diante de Taubaté, em casa e Flamengo, fora. Depois perdeu em Taquaritinga por 4 a 3, porém deu o troco em casa, batendo o rival por 3 a 1.

A vitória considerada do acesso foi diante do Flamengo, no Limeirão, quando Dickson acertou uma bomba de fora da área, aos 46 minutos do segundo tempo, que deixou a Veterana com um pé na Série A-1: 2 a 1.

Quase 1.500 leoninos foram ao Vale do Paraíba para festejar o acesso. Dickson, infalível nas bolas paradas, dividiu a artilharia leonina com Rodriguinho, ambos com 7 gols. Maranhão marcou seis vezes.

O goleiro Carlos Carioca e o meia Rodriguinho estiveram em campo nos 26 jogos da Veterana. O time base era formado por: Carlos Carioca; Bruno Negreiro, Ílton, Marcão e Dickson; Charles, Juari, Rodriguinho e Lê; Maranhão e Brenner.

Agora a Inter pode receber o quarto troféu de campeão da Série A-2 em sua galeria. No domingo, às 11h, no Limeirão, começa a decisão contra o Santo André. Jogo de volta será na quarta-feira, feriado nacional, às 11h, no Bruno José Daniel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *