Limeirão terá que receber melhorias para o Campeonato Paulista da Série A-1

Por Edmar Ferreira

Não bastasse a dificuldade financeira pela qual passa a Internacional após o vice no Campeonato Paulista da Série A-2, a diretoria terá mais um grande problema para resolver nos próximos meses: a melhoria por completa do Estádio Major José Levy Sobrinho.

Em visita do Coronel Isidro Suita Martinez na semana passada, a Internacional tem a ciência de que uma lista com várias exigências será passada para que o Leão possa jogar em seu estádio a Série A-1, sem correr o risco do mesmo não ser interditado.

Paulo César Scavariello, o Liminha, disse que o poder público e os patrocinadores precisarão se unir para ajudar a Internacional nesse momento. Ele não tem ideia de quanto será preciso para atender todas essas exigências, mas segundo ele, não será um valor baixo.

Para começar, as traves do Limeirão precisarão ser substituídas. As novas terão que ser retráteis e de alumínio. Cada conjunto custaria em média R$ 18 mil.

A diretoria teria que melhorar os banheiros dos torcedores. Alguns ainda têm privadas no chão. O Limeirão tem dois para raios e serão necessários mais dois para receber os jogos da elite.

A Inter teria também que construir uma bilheteria na arquibancada principal, a chamada geral, para que os torcedores não fiquem aglomerados apenas no setor do estacionamento.

O local destinado a torcida visitante também teria que ser expandido, chegando na curva das cativas. Além disso, um portão maior precisará ser colocado para facilitar a entrada e saída da mesma.

Segundo Liminha, os vestiários, camarotes e o setor de imprensa são os únicos neste momento que não precisariam de reformas ou ampliação.

Outro ponto que pode aumentar a dor de cabeça dos diretores é o gramado do Limeirão. Geralmente no segundo semestre o tapete verde muda de cor em razão de um fungo. Por ser o Paulistão, a Federação Paulista de Futebol deve exigir uma qualidade melhor.

A empresa Ajinomoto, que deverá seguir como um dos patrocinadores do Leão, doou cerca de 16 lixeiras para o Limeirão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *