Presidente leonino Celso Potechi: “Passa pela minha cabeça renunciar”

Por Edmar Ferreira

Uma semana tensa com desdobramentos que deixaram um clima de incertezas no ar. A debandada geral na Internacional, que começou com as saídas dos técnicos Paulo Roberto Santos e Alan Dotti e até do gerente de futebol Odair Batistela Júnior, deixou o presidente Celso Potechi arrasado e com poucas perspectivas de futuro.

Em coletiva de imprensa ontem pela manhã no Limeirão, com a presença de apenas três jornalistas, Potechi afirmou que neste momento está pensando seriamente em renunciar, principalmente pela falta de apoio que está tendo, agravando a crise financeira a qual o clube passa.

Potechi disse que se tomar a decisão de renunciar, não deixará dívidas para a Inter. “Nunca escondi de ninguém que devemos R$ 500 mil da Série A-2 e estamos entrando em um negativo de mais R$ 100 mil neste começo de preparação visando a Copa Paulista. Vou pagar religiosamente tudo, caso eu realmente saia”, garantiu.

A Copa Paulista pode ser a última competição da gestão de Celso Potechi. “Se nada mudar até lá, deixarei o cargo. Não tem como tocar um clube do tamanho da Inter, ainda mais agora na elite, sem apoio nenhum. Mas na Copinha eu sigo, até em consideração as pessoas da diretoria que estão ao meu lado desde o início, como o Liminha, Adriano Carneiro e Lucas D’Andrea”, justificou.

Saída de Paulo Roberto

Sobre a saída de Paulo Roberto Santos, Potechi voltou a afirmar que a questão financeira foi a grande responsável. “Não estou conseguindo renovar com os patrocinadores da A-2 e os novos querem apenas a Série A-1, ou seja, não temos recursos para a Copa Paulista. Até a situação econômica do país contribui para tudo isso. A situação é realmente delicada”, frisou.

O presidente prometeu fazer um acerto financeiro com o ex-técnico. Vale lembrar que nenhum contrato foi assinado e por enquanto o acordo era apenas verbal. “O Paulo Roberto gastou gasolina, pedágio e hospedagem. Além disso, trabalhou. Não é justo sair sem nada. Faremos um acerto proporcional. O próprio Paulo confirmou em entrevista ao Pimba nos Esportes da Rádio Mix que eu tinha oferecido um imóvel particular para ele, em troca dos serviços prestados a Inter”, disse.

Potechi disse que não tem pressa para definir o substituto de Paulo Roberto. “Temos primeiro que acertar com o Edilson Santos para a Copa Paulista. Ele trabalhou na comissão técnica do João Vallim e conhece o elenco. Depois vamos analisar o mercado. Meu telefone está repleto de treinadores que querem assumir o cargo. Temos apenas que acertar o nome e torcer para que o planejamento seja correto”, destacou.

Sérgio Guedes e Elano – nomes fortes

Hoje, o ex-goleiro Sérgio Guedes, que comandou a Portuguesa Santista na Série A-2, aparece como nome mais forte. O treinador foi vice-campeão com a Ponte Preta em um Paulistão e conhece como poucos a elite do futebol paulista. Elano, ex-meia do Santos e atual comentarista da ESPN, é outro nome forte que ronda o Major Levy.

O presidente também confirmou que não pretende contratar neste momento um gerente de futebol para o lugar de Odair Batistella Júnior, que deixou o Leão para trabalhar na base do Atlético/MG.

Inter quer área para construção de CT

Outra frustração de Celso foi não ter conseguido ainda um terreno de 50 mil metros quadrados para a construção de um centro de treinamento para a Internacional. Se a Prefeitura conseguisse essa área, a parceria com a Unicamp e a Einstein se encarregaria do restante. “Será que não tem um leonino que possa nos fazer essa doação. Pode ser até algum empresário da cidade. O mais difícil nós temos, que é a parte da construção. Falta apenas o local”, salientou.

Potechi disse que desde o dia 29 de outubro a sua moradia passou a ser o Limeirão. “Entro aqui às 8h e saio perto das 22h. Cada hora entra uma oportunidade na minha sala”, frisou. Outro assunto abordado por ele foi que a Inter pretende reaver o Clube de Campo.

Sobre as categorias de base, o comandante disse que duas parcerias foram apresentadas. Uma delas apenas para o Sub-20, visando a Copa São Paulo de Juniores. A outra englobaria também o Sub-15 e o Sub-17. “Até o meio de semana eu defino. Mas uma coisa é certa, não seremos sede”, ressaltou.

Pré-temporada em Conchal

A Inter dará início amanhã a pré-temporada em Conchal. Um ônibus da empresa Irmãos Maiochi, do presidente Francisco Maiochi, buscará o elenco no Limeirão para levar até a cidade.

Os jogadores ficarão hospedados no Hotel Lago, do proprietário Paulo Eduardo Leitão, durante uma semana. Os treinamentos serão nos campos do SAJE, Municipal e na Fazenda Água Branca.

Exigências da Federação Paulista

A Inter tem até o dia 15 deste mês para cumprir quatro exigências da Federação Paulista de Futebol para que seu estádio seja liberado para a disputa da Copa Paulista.

As traves históricas, de 1978, foram retiradas ontem à tarde e as novas, retráteis e de alumínio, serão colocadas na terça-feira. Elas foram adquiridas graças a uma campanha que envolveu leoninos apaixonados pelo clube. As antigas serão cortadas em pedaços e foram vendidas ao preço de R$ 100 cada, gerando uma receita de quase R$ 20 mil.

O gramado do Limeirão precisará passar por um nivelamento. A Inter também terá que construir um vestiário feminino. O local existe e os materiais já foram comprados. Resta apenas a mão de obra. A diretoria necessita de um pedreiro para atender essa exigência.

Para completar as obras de emergência, a Inter terá que colocar chapas de aço na iluminação. A medida serve para evitar que torcedores escalem as torres.

As outras 46 exigências precisam ser concluídas até outubro. As principais são as construções de uma bilheteria, da sala do VAR, da coletiva de imprensa do time visitante e de um ambulatório. Já os vestiários precisarão de um piso emborrachado. Segundo Potechi, neste momento a Inter conta apenas com a ajuda de abnegados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *