Conheça a trajetória de Edilson Santos, técnico da Inter na Copa Paulista

Por Edmar Ferreira

A diretoria definiu que o auxiliar Edilson Santos será o técnico interino da Internacional na Copa Paulista. Ele substituirá Alan Dotti que foi desligado do cargo na sexta-feira, juntamente com o coordenador Paulo Roberto dos Santos.

Edilson inclusive comandou o Leão no jogo-treino diante do Mogi Mirim, na vitória por 2 a 1. O profissional está no alvinegro desde 2017 e participou das principais conquistas do clube neste período, como os acessos das Série A-3 para a A-2 e agora para a elite, além do vice da Copa Paulista.

Ontem, a Inter deu início à pré-temporada em Conchal. Um ônibus da empresa Irmãos Maiochi, do presidente Francisco Maiochi, veio buscar o elenco no Limeirão para levar até a cidade vizinha.

Os jogadores ficarão hospedados no Hotel Lago, de propriedade de Paulo Eduardo Leitão, durante uma semana. Os treinamentos serão nos campos do SAJE, Municipal e na Fazenda Água Branca.

O novo técnico afirmou que não indicará nenhum jogador para reforçar a Inter na Copa Paulista. Sua única exigência será um auxiliar, que será limeirense. O nome ainda não foi divulgado.

Edilson disse que não deve mudar o esquema que vinha sendo utilizado e que pretende melhorar o entrosamento daqueles que chegaram. “Precisamos dar conjunto ao time antes da estreia”, frisou.

Carreira

Edilson José dos Santos está com 44 anos. O ex-volante nasceu em Limeira no dia 03/09/1974 e é filho de José Aurino dos Santos e Cosma Bernardina dos Santos. Está casado com Renata desde 2001 e seu filho Nathan é capitão do time Sub-14 do Red Bull.

Edilson iniciou a carreira no time juvenil do União São João de Araras em 1989. Em 1991, defendeu o juniores do Independente até se transferir para o Nacional, ponto alto de sua carreira.

Foram 10 anos no time da Comandador Souza e três títulos conquistados: Série A-3 de 1994 e 2000 e de Juniores em 1994.

Jogou no Guarani, São José, Garça e no Paraná Clube, onde foi campeão paranaense em 2003. Edilson também vestiu as camisas do Colatina do Espírito Santo e novamente do Independente em 2004.

Em 2005 subiu com o XV de Jaú e em 2006 foi campeão da Série A-2 com o Grêmio Barueri, que goleou o Sertãozinho por 4 a 1. O seu técnico era José Carlos Fescina. Com o mesmo Barueri conquistou o acesso para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Em seguida, o volante se transferiu para o Rio Claro, onde atuou em 2007 e 2008. Já de 2009 a 2013 virou professor de escolinhas em Limeira, trabalhando no Santos, Inter/RS e César Sampaio.

Mas aos 38 anos, Edilson foi convidado pelo técnico Doriva para ser o seu auxiliar no XV de Jaú. Como ainda estava bem condicionado fisicamente, voltou a jogar. Foi seu último clube como jogador.
Retornou a Limeira para a escolinha do César Sampaio e em 2017 passou a estagiar na Internacional, onde permanece até hoje.

Base

A Internacional deverá confirmar uma parceria para as categorias de base ainda esta semana. O Leão disputará a Copa São Paulo de Juniores, mas não como sede.

A Inter também tem até o dia 15 deste mês para cumprir quatro exigências da Federação Paulista de Futebol para que seu estádio seja liberado para a disputa da Copa Paulista.

As traves históricas, de 1978, foram retiradas no sábado e as novas chegam amanhã. Porém, antes de ser colocadas, o gramado passará por um nivelamento, outra exigência imposta após vistoria.

A Inter vai construir um vestiário feminino. O local existe e os materiais já foram comprados. Resta apenas a mão de obra. Outra medida emergencial será a colocação de chapas de aço na iluminação. A medida serve para evitar que torcedores escalem as torres. As outras 46 exigências precisam ser concluídas até outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *