Inter lamenta derrota injusta para o XV em Piracicaba e reclama da arbitragem

Por Edmar Ferreira

Se contra o Velo Clube, na rodada passada, a Inter mereceu perder por 2 a 0, em Rio Claro, desta vez em Piracicaba, diante do XV, a derrota por 1 a 0 foi injusta ao extremo. Foram quase dois mil pagantes no Barão de Serra Negra.

Mesmo desfalcada, a Inter fez uma grande apresentação e só não saiu com um resultado positivo graças as boas defesas do goleiro Luiz Fernando, a trave e um possível pênalti não marcado pelo árbitro nos acréscimos.

Sem contar com o suspenso Ferrugem e com os lesionados Jean Pablo, Francklin, Igor e Helton Luiz, Edilson Santos colocou em campo uma equipe bastante aguerrida, que fez uma de suas melhores exibições.

O treinador colocou Rafael Ferro na ala-direita, Brunão na zaga, Balardim na ala-esquerda, Everton Sena na armação, Tcharlles no lugar de Vinícius Pivetta e Patrick Silva na vaga de Chocolate.

O XV de Piracicaba aproveitou o fator casa para tomar a iniciativa do jogo. Logo aos três minutos, Jefferson Feijão arriscou de longe e mandou para fora. Na sequência, foi a vez de Kadu Barone exigir uma grande defesa do goleiro Rafael Pin, que espalmou para escanteio.

O XV continuou atacando. Kadu Barone se livrou de Rafael Ferro pela esquerda e cruzou para trás. Macena poderia fazer o gol, mas Luizinho chegou primeiro e mandou por cima, atrapalhando o goleador, que ficou inconformado no lance.

A Inter teve uma única chance na primeira etapa, quando Tcharlles pegou de primeira e Luiz Fernando fez um milagre em seu canto direito.

O Nhô Quim voltou melhor para o segundo tempo e desperdiçou uma grande oportunidade de abrir o placar aos dois minutos. Raphael Macena apareceu na frente de Rafael Pin, mas parou em novo milagre do goleiro leonino.

A Inter cresceu e passou a dominar as ações. Em jogada individual de Everton Sena, o meia invadiu a área e bateu cruzado para a defesa de Luiz Fernando. Se tocasse de lado, Rafael Ferro poderia marcar.
Em outro lance, Tcharlles chutou da meia-esquerda, cheio de curva. A bola caprichosamente bateu na trave e correu toda a linha do gol, não entrando. A torcida leonina e os narradores chegaram a gritar o gol.

A entrada de Chocolate melhorou a qualidade ofensiva da Inter. O centroavante criou três chances seguidas. Em uma delas, o arqueiro quinzista praticou uma grande defesa.

Quando a Inter estava próxima do gol, Kadu Barone recebeu na esquerda e levantou na cabeça de Macena, que finalizou com estilo, no canto direito de Rafael Pin: 1 a 0.

“A gente sabia dessa jogada do XV entre Kadu e Macena e mesmo assim tomamos o gol. Isso não pode acontecer”, desabafou Oliveira.

E foi o mesmo Oliveira que tentou o empate em uma bicicleta nos acréscimos. A bola teria batido na mão de Gilberto Alemão. O árbitro Ricardo Bittencourt não marcou o pênalti, entendendo que não houve a intenção do becão, o que causou muita revolta dos leoninos.

Situação

No outro jogo de sexta-feira, Velo Clube e Rio Claro empataram sem gols no Benitão. Amanhã, às 10h, o Noroeste recebe o Atibaia, em Bauru. Se o time de João Vallim vencer, a Inter cairá para a quarta colocação do Grupo 2 pelo saldo de gols.

O XV de Piracicaba disparou na liderança, com 14 pontos, três a mais que o vice-líder Rio Claro. A Inter estacionou nos 8 após duas derrotas seguidas. O Atibaia vem atrás com 5 pontos, mesma pontuação do Velo. O Noroeste é o lanterna com 3.

A Inter volta a jogar na próxima sexta-feira, às 20h, contra o Noroeste, no Limeirão. Depois terá mais um jogo em casa, desta vez contra o Rio Claro. Na sequência pegará o Atibaia, em Americana e fechará contra o Velo Clube, no Major Levy.

XV de Piracicaba 1 x 0 Internacional

Gol – Macena aos 33 minutos do 2º tempo
Local – Estádio Barão da Serra Negra, em Piracicaba
Árbitro – Ricardo Bittencourt
Público – 1.934 torcedores
Renda – R$ 23.880,00
XV de Piracicaba – Luiz Fernando; Jefferson Feijão, Douglas Marques, Gilberto Alemão e Anderson Santos (Paulão); Fraga (João Veras), Bruno Lima e Danilo Bueno (Elias Ceará); Kadu Barone, Macena e Luizinho. Técnico – Tarcísio Pugliese.
Internacional – Rafael Pin; Rafael Ferro, Oliveira, Brunão e Balardin; Bruno Formigoni (Vinícius Pivetta), Marquinhos, Nata e Everton Sena; Patrick Silva (Chocolate) e Tcharlles. Técnico – Edílson Santos.
Ocorrências – cartões amarelos para Bruno Lima, Jefferson Feijão e Macena (XV), Bruno Formigoni, Tcharlles e Rafael Pin (IN).

*** Foto – Michel Lambstein

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *