Parraga diz que errou na tática do Independente na derrota em Amparo

Por Edmar Ferreira

Dificilmente um treinador admite um erro. A maioria prefere culpar seus jogadores ou até mesmo a arbitragem. Na derrota para o Amparo por 3 a 1, fora de casa, na estreia da terceira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão, Jorge Parraga assumiu toda a responsabilidade pelo tropeço e disse que errou na fórmula de encarar o adversário.

Parraga afirmou que foi para vencer o Amparo, quando na verdade, ele poderia esperar um pouco para ver o comportamento do time da casa, que estava invicto diante de sua torcida.

“Fui com tudo para cima no início do jogo e abri espaços para eles trabalharem. Coloquei o Matheus Petrulio para marcar o volante e ele não estava acostumado a exercer essa função. Se pudesse voltar no tempo, jogaria mais fechado em Amparo. Mas ninguém chega ao sucesso sem arriscar. Talvez a hora foi errada”, confidenciou.

Curiosamente, o Independente estava invicto há seis jogos (três vitórias e três empates) e havia sofrido apenas três gols nos últimos 10 jogos. Só em Amparo levou três.

“Credito os gols que tomamos as falhas individuais que tivemos. Até quando estava 2 a 1 no começo do segundo tempo, tivemos a chance de empatar e no fim, acabamos tomando o terceiro. Mas agora é esquecer esse jogo e focar nos dois compromissos difíceis que teremos em casa”, frisou.

Parraga espera encontrar muita dificuldade na partida de sábado, contra o Assisense, às 16h, no Pradão.

“Empatamos duas vezes sem gols contra eles. O time marca muito, tem o meia Rafinha que organiza o time, o centroavante Daniel que é forte e está sempre buscando o contato e o técnico PC, que é limeirense e está fazendo um ótimo trabalho lá, tanto que se classificou vencendo em Andradina por 2 a 1. Não será nada fácil”, comentou.

E o treinador galista pediu paciência ao torcedor galista, principalmente neste primeiro jogo em casa nesta fase.

“Não pensem vocês que são três pontos garantidos. Imagino que será um jogo muito complicado e decidido apenas nos detalhes. É por isso que peço paciência ao torcedor que for ao Pradão. Precisamos de apoio nos 90 minutos. É um jogo fundamental, onde não podemos, em hipótese nenhuma, sair com a derrota”, pediu.

Depois de enfrentar o Assisense, o Galo fará outro jogo em casa, contra o Paulista de Jundiaí.

“Será outro jogo bastante complicado. Além do nome, da camisa, o Paulista é o melhor time da Segundona até agora. Os números estão aí e não mentem. É um dos favoritos ao acesso e vem de vitória em Assis. Mas temos que estar preparados. Quem quer subir não tem que temer adversários. Não é porque perdemos em Amparo que tudo está perdido. Temos que fazer a lição de casa agora”, completou.

Parraga perdeu uma peça importante para o jogo de sábado. O capitão Eduardo Britto recebeu o terceiro cartão amarelo e terá que cumprir a suspensão automática. Maycon será o seu substituto.

Desta forma, e até pela necessidade da vitória, o treinador deve mudar seu esquema tático para o 4-4-2, barrando o zagueiro Gustavo Oliveira. Sendo assim, o provável Galo seria: Felipe; Gabriel, Maycon, Esaul e Kaio; Gustavo Gomes, Igor Cursino, Lucas Marques (Erick) e Matheus Petrulio; Lucas Mineiro e Gabriel Ramalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *